A Estação Ferroviária de Chavantes

A ESTAÇÃO 


A bela estação de Xavantes ou Chavantes, hoje recuperada e acolhendo o Museu Municipal, teve o início da sua construção em 1909. O Pátio da Estrada de Ferro Sorocabana tornou-se o primeiro logradouro público de Chavantes. Neste mesmo ano, foram construídas casas de madeira ao redor da estação, que serviriam de moradia aos funcionários da Sorocabana.
Inicialmente, seu nome foi escrito com CH e depois com X. Hoje, acompanhando a nomenclatura do município seu nome é grafado como Chavantes. 

Foto de 1909 encontrada em imagens Google. Desconheço o autor.

Foi a 1ª estação ferroviária de Chavantes. Em seu entorno começaram a aparecer as primeiras casas de madeira. De um pequeno povoado a cidade começou a surgir. Os negócios se transferiram de Irape para Chavantes e o comércio prosperou. A nossa história começou aí. Quando descobrirmos por que a Sorocabana denominou a estação de Chavantes, teremos a origem do nome, o que ainda gera discussões acaloradas: índios, dizem uns; chave antes, dizem outros.


Maravilhosa imagem da segunda e atual Estação de Chavantes.
Repare que foram poucas as modificações ao londo dos anos.
Foto de Wilson Monteiro

 
                                Foto de Cristiano Bueno                                Foto de Danilo Dolci                              
       
                           
                                Entrada da antiga estação ferroviária, hoje Museu (Foto publicada no Caderno D )    

 
                                Foto do Museu Municipal



EM CONSTRUÇÃO

12 comentários:

Luis Antonio disse...

Lindas fotos,traz boas recordaçoes, viagem a SP., ia com Antonio Espanhol, busca mercadorias para armazem, iamos de carroça roda de madeira revestida ferro, fazia um barulho, que ficava assustado, pois nao era asfalto e sim paralelepipedos, eu achava engraçado, o Espanhol quando chegava para estacionar na plataforma ele gritava FASTA PRA TRAZ e o burro entendia obedecendo.

Lilia disse...

boas recordações Luis Antonio. vc pode colaborar com o blog contando alguns casos da sua infância. abraço

felipe uchida disse...

nossa me lembro ate hoje quando ia com meu avô olhar a estação de trem, lembro da viagem que fiz a manduri

Lilia disse...

Obrigada, Felipe Uchida. O trem marcou muitas geracões.

Rosana Selma Biano Spino disse...

.Era meu castelo de conto de fadas quando aos domingos ia com coração saltitante de emoção esperar meu primeiro namorado.
Lembranças eternas que me seguirão e sei que a ele também. Rosana Spino em 1972.

Lilia disse...

Uma linda recordação, Selma. Volte sempre.

Maria Elena Bonzanino disse...

Parabéns Lilia, trabalho relevante o seu!
Cheguei até ele por um atalho da história de uma mulher que aos 19 anos assistiu a chegada dos Expedicionários na Estação, em 45, e que fará parte do livro: PILARES-Mulheres de Londrina.
Sou grata, abraço
Maria Elena

Lilia disse...

Muito obrigada por suas palavras, Maria Helena.
Volte sempre. abç

Ray gomes disse...

Eu também sinto muita saudade"" muito, dos meus amigos, dai ja se foram, tempo da pracinha, ai as 9 horas esperar o trem de passageiro na estação, e agora somente a saudade restou! não tenho nada a contribuir!é só

Lilia disse...

Ray Gomes, são boas recordações de um tempo feliz.

Edecleia Felix disse...

Nosa que fotos maravilhas ne tras muitas saudades e e minha familha morava em uma fasenda perto de irape e 1972 quando fomos embora para sao paulo eu tinha eu tinha 6 anos e nunca mas esqueci ache o trem a coisa mais linda do mundo moutei la em 1992tudo tava diferente mas fiquei encantado do mesmo geito da primeira vez hoje quando oasso na rodovia com sentido ao mato grosso onde tenho uma fasenda nao deicho de passar na estaçao de chvantes amo de coraçao

Lilia disse...

Obrigada por suas palavras Edecleia. Venha sempre visitar o blog. abraco.