prefeitos 1






EM CONSTRUÇÃO





Antonio Fontes Filho

Antonio Fontes Filho 
1952 a 1955
1960 a 1963

Antonio Fontes Filho nasceu em Piraju no dia 14-10-1906, filho de Antonio Baptista Abranches Fontes e Rita Guimarães Fontes, foi casado com Aracy de Lourdes de Mello Fontes nascida em 26-03-1915 natural de Prata, filha de Antonio de Mello e Maria Benedita de Oliveira Mello. O casamento foi realizado em Chavantes,  no dia 6-12-1934, ele com 28 anos e ela com 19. Tiveram os filhos: Newton (falecido), Antonio Fontes Neto (falecido), Maria De Lourdes (Udi), José Carlos (Paraná), Paulo Roberto, Pedro Luiz (falecido), Carlos Cesar e José Eduardo (Kaçapa). 

Foi empossado como Prefeito do Município de Chavantes, no dia 1º de janeiro de 1952, juntamente com o Vice Prefeito sr. Mario Bernardes de Oliveira e Vereadores.
Estiveram presentes na solenidade o Sr Antonio Silvio da Cunha Bueno, Deputado Federal por SP, o Deputado Estadual Silvestre Ferraz Egreja e os vereadores: Same Curi que foi eleito Presidente da Câmara, Hélio Gouvêa de Melo eleito 1º Secretário, Vicente Paulo Bergamo eleito 2º secretário, Gumercindo Lopes, Luiz Kuniyoshi, José Rubio Morales, Antonio Ricieri Mariotto, Olegário Bueno, Oity Nogueira, e Nicola Gimenes Ligeiro.
A primeira vereadora eleita, sra Diva Xavier Biaggioni, não compareceu.
Disse, entre outras palavras, o Prefeito eleito em seu discurso de posse:
“(...) Na Prefeitura, procurarei fazer um governo do povo para o povo, sem cor política ou partidária, sem ódio ou perseguição, sem injustiça ou protecionismo, serei simplesmente um fiel executor das leis de vossos digníssimos representantes e um trabalhador incansável pelo progresso e pela grandeza deste município.
Não guardo ódio e nem rancor de quem quer que seja, porque sei perfeitamente que no calor das lutas políticas todos lançam mãos de vários recursos para a vitória (...)
(...) Portanto, aproveito esta oportunidade para lançar o meu apelo a todos os bons chavantenses que queiram auxiliar a nossa administração, pois estarei sempre pronto para aceitar toda e qualquer colaboração que venha em beneficio de nosso município , podendo assim trabalhar pela grandeza de nossa terra e pela felicidade de nossa gente. (...)

Antonio Fontes Filho e sua esposa Dona
Aracy de Lourdes de Mello Fontes

Em seu Plano de Governo, destacamos:
- Estradas Municipais:
.aquisição de máquinas próprias;
. apedregulhamento e alargamento de vários trechos;
. terminar a Ponte da Primavera no rio Paranapanema;
. melhorar a Balsa no Porto Gil, que liga-nos com Timburi e Jacarezinho;
- Prédios Populares: construção de prédios populares que atendam as necessidades da população, com a máxima urgência.
- Máquinas Agrícolas: compra de tratores e implementos para serem utilizados pelos pequenos no preparo da terra a fim de auxilia-los no aumento da produção.
- Instrução Pública:
.este é um problema a ser resolvido pelo nosso governo, principalmente a criação de uma escola secundária, onde os alunos de nossos estabelecimentos de ensino primário possam continuar seus estudos;
.construção do Grupo Escolar de Canitar.
- Esgoto: para resolver tão sério problema, iremos trabalhar junto ao Exmo. Sr Governador do Estado para que nos seja concedido um empréstimo para esse objetivo.
Diversos outros problemas serão tratados com carinho, como sejam: Assistência Social e Hospitalar; zelar pelos interesses da população no que se refere ao custo de vida; amparo à criança, à velhice e ao esporte; guias de nivelamento e apedregulhamento nas ruas dos Distritos; telefone e agência de correio para Canitar; compra de ambulância para o transporte dos doentes.

Problemas imediatos encontrados pelo sr Antonio Fontes Filho

1- Abastecimento de Carne: após uma reunião com açougueiros e consumidores, ficou deliberado que a carne teria o preço tabelado em Cr$ 12,00 o quilo para a carne de primeira e Cr$ 10,00 o quilo para a de segunda;
2- Óleo Comestível: ao tomar conhecimento que, uma carta do Moinho Santista, comunicava estar liberada uma cota de óleo para o município desde o mês de dezembro, foi enviado um caminhão para proceder a retirada do produto tão necessário à população. A quota foi de 3.500 litros, foi entregue ao público ao preço de Cr$ 8,00 o litro;
3-  Ponte da Primavera: são muitas as irregularidades na construção da ponte sobre o rio Paranapanema, ligando Chavantes a Timburi: não há uma planta, nem edital de concorrência pública, nem técnico responsável pela obra, que é subvencionada por este município, sem autorização legal. Tento em vista a precariedade da construção, a mesma foi fechada, aguardando a vinda de um engenheiro do Departamento de Obras Públicas da Secretaria da Viação.
4- Balsa do Bairro Guaritá: fui convidado a ver o local onde se acha há mais de quatro meses, no fundo do rio Pardo, a Balsa mandada construir pelo Governo do Estado de São Paulo, para servir os moradores do município de Santa Cruz do Rio Pardo e Chavantes. A Balsa ficou entregue aos cuidados do nosso município por ter o mesmo solicitado a sua construção. Foram encarregados de retirar a Balsa do fundo do rio, os srs. Francisco Ferreira Chagas, Júlio Rodrigues de Lara e Delfino, moradores do bairro que receberão a importância de Cr$ 1.200,00 após o término do serviço de flutuação.
5- Serviço de Água: está no mais completo abandono. As bombas e poços em tal estado que se não forem tomadas medidas imediatas, nossa população ficará sem o precioso líquido. Uma das únicas bombas em funcionamento foi remendada em caráter provisório faz mais de 4 meses. Das bombas de recalque que impulsionam a água da caixa para a distribuição, apenas uma está funcionando. Outros problemas são: poço abandonado, pois destruíram o encanamento quando da colocação de um transformador de força, outro com vazamento em 26 lugares no cano que liga a caixa de recalque, além de estar com a bomba funcionando a uma profundidade de 16 metros quando deveria trabalhar a 48 metros.
Três bombas foram enviadas à Firma Frizt Hutter S/A para consertos há dois anos, e lá ficaram até o momento.
6- Conservação de Estradas: é necessário acudir com urgência os trechos: Chavantes/Ipaussu, Chavantes/Canitar, Chavantes/Fazenda Santa Maria do Ralfo, Irapé/Santo Antonio/Brumado. O município de Chavantes não possui uma máquina para reparação de suas rodovias, o que é preciso corrigir imediatamente.
7- Calçamento da Cidade: temos entre 4 a 5 mil metros de calçamento a realizar e manter em ordem o que está pronto.
8- Construção de uma Cadeia no Distrito de Irapé: apesar de iniciada a construção, a mesma foi abandonada e será necessária uma grande despesa para retoma-la.
9- Coreto do Jardim do Distrito de Irapé: o antigo jardim com suas flores e canteiros bem tratados, desapareceu por causa do abandono e seu coreto foi demolido. Será necessário recomeçar.
10 Auxílio ao Pequeno Lavrador: em companhia de srs de diversas classes sociais deste município estivemos numa reunião da Zona Sorocabana na Fazenda Bela Vista de Palmital. Foram tratados assuntos de interesse da agricultura junto ao sr. Secretário da Agricultura do Estado e com a presença dos Deputados Federais  Dr. Antonio Sylvio da Cunha Bueno e Silvestre Ferraz Egreja, assim como o Deputado Estadual Dr. Jayme de Almeida Pinto. Apresentamos um projeto em defesa dos interesses dos pequenos agricultores que é o da compra por parte dos Municípios, de máquinas agrícolas, por intermédio do Governo do Estado, a preço de custo. O projeto foi aprovado por todos e o sr. Dr. João Pacheco Chaves, Secretário da Agricultura prometeu torna-lo realidade.

11Penhora Pública:
R Recebi no dia 24 de janeiro, a visita do Sr Oficial de Justiça da Comarca de Ourinhos que me apresentou um mandato de penhora, contra o nosso Município, por não ter sido recolhido ao IAPI, as importâncias que vem descontando da folha de pagamento de seus funcionários. Mandei proceder ao pagamento das dívidas em juízo, porque o Município de Chavantes não tem necessidade de penhorar os seus pertences. Esse desinteresse anterior, pela causa pública, custará além das importâncias devidas, mais de Cr$25.000,00, entre os juros de mora, custas e outras despesas. Está, assim exposta em linhas gerais, a situação do Município, cuja administração assumi em 2 do corrente.
Chavantes, 31 de janeiro de 1952
Antonio Fontes Filho
Prefeito Municipal de Chavantes 

Parabéns, Sr. Prefeito

As estradas e rodovias do Município de Chavantes, as ruas de Irapé e Canitar, estão recebendo do sr. Prefeito Municipal o tratamento e a conservação de que tanto necessitavam. Todos os que por elas transitam louvam a atual administração que não tem descurado um só instante para da-lhes o necessário zelo. O sr. Antonio Fontes Filho, que assumiu as rédeas do governo municipal há apenas seis meses e meio, já tem demonstrado o seu tino administrativo. Pessoas de todo o município, das cidades vizinhas e das mais longínquas plagas que por aqui passam tecem comentários lisonjeiros ao nosso Prefeito que, desprovido de qualquer vaidade, vem trabalhando sem alardear seus grandes feitos.

Telefone Público para Canitar OM 16/06/52

Com a presença dos srs. Antonio Fontes Filho, Prefeito Municipal, Same Curi, Presidente da Câmara, Jacy Fernandes, Chefe de Zona da Cia Telefônica Brasileira, com sede em Ourinhos, Vereadores Nicola Gimenes Ligeiro e José Rubio Medina, outras autoridades e grande massa popular, foi inaugurado o Telefone Público de Canitar, que trouxe grande conforto e satisfação à população.

EM CONSTRUÇÃO


Dr. Wanor Torres Bittencourt
Dr. Wanor Torres Bittencourt - 
 1969 a 1972

Dr. Wanor Torres Bittencourt.
No dia 1º de janeiro de 1969, em solenidade que se iniciou à 9 horas da manhã, com a presença de todas as autoridades mais representativas do município, empossou-se no cargo de Prefeito Municipal de Chavantes o Dr. Wanor Torres Bittencourt juntamente com seu Vice Prefeito, sr. Wilson Nogueira.
Com um rápido discurso, muito aplaudido, demonstrou que o seu governo será voltado para a criatura humana buscando solucionar, com a ajuda de todos, os problemas mais importantes de nosso município.
Leia na íntegra o discurso de posse do Dr. Wanor:
“Escolhido que fui por vós para exercer o cargo de prefeito dêste próspero município, muito me sinto honrado e disposto a dar-vos o máximo de minha vontade e dedicação, para corresponder a confiança em mim depositada.
Agradeço a todos que por mim trabalharam e a mim confiaram seus votos e ao mesmo tempo peço-vos que não me abandoneis no momento em mais necessito de vossas colaborações.
Jamais poderia fazer um bom governo sem o vosso auxílio.
O município é como uma família; tem por elementos orgânicos a honra, a disciplina, a fidelidade, a benquerença, o sacrifício.
É uma harmonia instintiva de vontades, uma desestudada permuta de abnegações, um tecido vivente de almas entrelaçadas.
É necessário pois, que cultivemos as solidariedades coletivas.
Ninguém pode prescindir de trabalho dos outros.
Lanço pois o meu apelo para que tenhamos aqui um trabalho conjunto tendo em vista que o dever dos deveres está em respeitar nos outros os direitos nossos.
Não querendo me estender muito, pois como vós sabeis, não conto com o sublime dom da oratória, termino pedindo a Deus que, por mais que os sucessos me elevem na administração, eu aprenda a considerar no poder um instrumento de defesa comum e que não chame jamais de inimigos os meus adversários, porque todos os sentimentos grandes são benignos e residem originariamente no amor”.
Plano de Ação
1-      Assistência Social – Compreenderá a criação de um serviço odontológico rural e urbano, com um gabinete dentário volante, equipado em veículo automotor para assistência domiciliar.
Uma comissão de pessoas caridosas e abnegadas procurará, contando com o amparo moral e financeiro da Prefeitura, solucionar problemas do asilo, albergue noturno, mendicância e S.O.S.
2-      Educação – além do amparo para manutenção e solução dos problemas ligados a rêde escolar municipal e estadual existente, o executivo se empenhará em conseguir a criação de uma escola técnica e de um centro rural.
3-      Rede de Água – Com a ajuda de técnicos e especialistas, far-se-á uma revisão total do sistema de captação e distribuição de água e da rêde de esgoto, solucionando-se definitivamente o problema em nossa cidade.
4-      Assistência Rural – A renovação da maquinaria, com ampliação do número de tratores, para atendimento oportuno do pequeno proprietário, do meeiro e do empreiteiro, um trabalho eficaz de reparação e conservação das estradas municipais e o estabelecimento de convênios com a Secretaria da Agricultura, na ampla assistência que esta pode prestar, será também uma das principais metas do governo, para que nada falte ao homem do campo.
5-      Arborização, Reflorestamento e Limpeza Pública – Uma arborização total de mossas ruas e avenidas, com espécimes vegetais proporcionadores de boa sombra e flores, para dar à cidade um aspecto alegre e feliz, além de um cuidado especial para a limpeza pública onde, após verificadas as possibilidades junto as esferas competentes, pretende-se aproveitar o trabalho de menores no setor.
6-      Escotismo e Esporte Amador – Haverá o incremento do esporte amador, com apoio dos poderes municipais e se fará um esforço para o desenvolvimento do escotismo, tão necessário e salutar a juventude.
7-      Asfaltamento – O asfaltamento total da cidade será muito bem estudado, procurando-se aproveitar os paralelepípedos do calçamento existente para pavimentação das ruas de nossos distritos e estradas municipais.
8-      Zoneamento do Município – A instituição de um representante em cada bairro, para trazer à câmara e ao prefeito os problemas existentes, possibilitando solução incontinente das dificuldades.
9-      Câmara Popular – A formação de uma câmara popular, com participação de elementos componentes dos mais diversos setores de atividades do município, que ajudarão o sr. Prefeito e vereadores a conhecerem os problemas de nossa comunidade.

Todos os que presenciaram a cerimônia de posse do Prefeito e Vice-Prefeito eleitos, puderam perceber que o sr. Wilson Nogueira, em quem todos nós reconhecemos excepcionais qualidades de homem público e administrador, não terá simplesmente um papel decorativo. Tudo indica que o atual vice-prefeito exercerá um trabalho conjunto, ajudando na administração municipal e participando ativamente das decisões do executivo.
Na ocasião inaugural do período legislativo, após as solenidades de instalação, foram empossados e prestaram juramento os nove vereadores eleitos em novembro de 1968. Na ocasião, usaram da palavra o sr. João Navarro, os vereadores Vicente Paulo Bérgamo, Fausi Mansur e Taufic Cury, todos como componentes do legislativo.
Falaram também o Dr. Manoel Caetano e o padre Luizinho.
Seguiu-se a eleição para a constituição da mesa administrativa e foram eleitos:
Presidente da Câmara: sr. João Navarro;
Vice-Presidente: sr. Luiz Perili;
Primeiro Secretário: srFausi Mansur;
Segundo Secretário: srTaufic Cury;
Primeiro Suplente: srAnselmo Mariotto;
Segundo Suplente: sr. Antonio Sanches Anaya.





Festividades na piscina do Clube Ouro Verde

Com Francisco (Tito) Faria e Padre Luizinho

Com o Vice Wilson Nogueira e Dona Nelly

Olegário Bueno, Dr Wanor, Padre Luizinho, João Navarro


Batalhando pela água em Chavantes.







Reforma do Grupo Escolar



A imagem pode conter: 1 pessoa, noite
Nosso jovem doutor


A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas, mesa e área interna
Dr Wanor, Geraldo Parizotto

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sentadas e área interna


A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas sentadas, pessoas comendo, mesa, área interna e comida

A imagem pode conter: 13 pessoas, pessoas em pé e área interna
Dr Wanor e Dr Leonel - dois jovens médicos

EM CONSTRUÇÃO