CESP e o Grêmio


A CESP

 História:
  • 1885 – Inaugurada a iluminação pública por eletricidade em Rio Claro (SP) com energia fornecida por uma termelétrica a vapor situada no centro da cidade.
  • 1895 – A Companhia Mecânica Industrial Rio Clarense inaugura a Usina Hidrelétrica do Corumbataí, no município de Rio Claro (SP).
  • 1900 – A Central Elétrica Rio Claro reinaugura, após reformas, a Usina do Corumbataí.
  • 1909 – São fundadas de forma independente a Empresa Luz e Força Elétrica de Tietê S.A e a Empresa Luz e Força de Mogi Mirim S.A, duas das onze formadoras da CESP.
  • 1911 – Inauguração da Usina Hidrelétrica São Valentim em Santa Rita do Passa Quatro (SP), pertencente à Companhia Força e Luz São Valentim. Esta empresa é comprada em 1923 pela Companhia Prada de Eletricidade, incorporada pela CESP em 1973.
  • 1912 – Eloy de Miranda Chaves (1875-1964) e outros empresários paulistas adquirem o controle acionário da Central Elétrica Rio Claro e a reorganizaram como S.A. Central Elétrica Rio Claro – SACERC.
  • 1915 – Fundação da Companhia Luz e Força de Tatuí, uma das formadoras da CESP.
  • 1919 – Fundação da Companhia Luz e Força de Jacutinga S.A., formadora da CESP.
  • 1923 – Fundação da Empresa Melhoramentos de Mogi Guaçu S.A., formadora da CESP.
    A S.A. Central Elétrica Rio Claro – SACERC adquire o controle acionário da Empresa Luz e Força de Mogi Mirim S.A.
  • 1926 – S.A. Central Elétrica Rio Claro adquire o controle acionário da Empresa Melhoramentos de Mogi Guaçu S.A., formadora da CESP.
  • 1931 – Fundação, em São João da Boa Vista, da Companhia Sanjoanense de Eletricidade, encampada, em 1953, pelo governo paulista, originando em 1962 a empresa estadual Bandeirante de Eletricidade S.A. – BELSA, uma das formadoras da CESP.
  • 1944 – Inauguração da Usina Hidrelétrica do Jacaré em Brotas (SP) pela S.A. Central Elétrica Rio Claro. Por causa da guerra, sua tubulação foi construída com placas de madeira de lei presas com cintas de ferro, solução inédita para este tipo de construção.
  • 1951 – O Plano Quadrienal de Administração do governo Lucas Nogueira Garcez (1951-1955) estabelece como meta a construção da Usina Salto Grande, no Rio Paranapanema. As obras foram iniciadas nesse mesmo ano.
    Convênio entre os estados de Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo para a criação da Comissão Interestadual da Bacia do Paraná-Uruguai – CIBPU.
  • 1953 – Criação das Usinas Elétricas do Paranapanema S. A. – USELPA, a primeira companhia de economia mista controlada pelo Estado de São Paulo e uma das formadoras da CESP. O Governo do Estado contrata a Companhia Brasileira de Engenharia – CBE para a elaboração do Plano de Eletrificação do Estado de São Paulo. O Departamento de Águas e Energia Elétrica – DAEE, órgão do governo estadual paulista criado em 1951, inicia as obras da Usina Hidrelétrica Limoeiro, hoje Armando de Salles Oliveira, no Rio Pardo.
  • 1954 – O DAEE começa a construção da Usina Hidrelétrica Euclides da Cunha, no Rio Pardo.
  • 1955 – Criação da Companhia Hidrelétrica do Rio Pardo – CHERP, encarregada das citadas usinas no Rio Pardo e a partir de 1957 também das obras do Médio Tietê. A CHERP é uma das formadoras da CESP.
  • 1956 – A CBE apresenta o Plano Estadual de Eletrificação ao DAEE. Este Plano incluía a proposta de uma empresa única que deveria implementá-lo, idéia concretizada dez anos depois com a criação da CESP.
    A USELPA inicia as obras da Usina Hidrelétrica Jurumirim, hoje Armando A. Laydner, no Rio Paranapanema.
  • 1957 – A CHERP começa as obras da usina Hidrelétrica Barra Bonita, no Médio Tietê.
  • 1958 – A USELPA coloca em operação a Usina Hidrelétrica Salto Grande, atual Lucas Nogueira Garcez, no Rio Paranapanema, município de Salto Grande (SP).
  • 1959 – Início da Usina Hidrelétrica Bariri, atual Álvaro de Souza Lima, no Médio Tietê, pela CHERP.
    Início das obras da Usina Hidrelétrica Chavantes, no Rio Paranapanema, pela USELPA.
    Início das obras da Usina Hidrelétrica Caconde, no Rio Pardo, pela CHERP.
  • 1960 – Entra em operação a UHE Euclides da Cunha, no Rio Pardo, em São José do Rio Pardo (SP).
  • 1961 – Criação das Centrais Elétricas do Urubupungá S.A. – CELUSA, uma das formadoras da CESP.
  • 1962 – Criação pelo governo do Estado de São Paulo da empresa de economia mista Bandeirante de Eletricidade S.A. – BELSA, a partir da antiga Companhia Sanjoanense de Eletricidade.
    Inauguração pela USELPA da Usina Hidrelétrica Jurumirim, hoje UHE Armando A. Laydner, no município de Piraju (SP).
  • 1963 – Criação da Companhia Melhoramentos de Paraibuna – COMEPA, que dá início às obras da Usina Hidrelétrica Jaguari, no Rio Jaguari, município de Jacareí (SP). A COMEPA é a última das formadoras da CESP.
  • 1964 – Inauguração pela CHERP da Usina Barra Bonita, no Rio Tietê, em Barra Bonita (SP).
    A COMEPA inicia as obras da Usina Hidrelétrica Paraibuna, no Rio Paraibuna.
  • 1965 – A caminho da unificação: a CHERP adquire o controle acionário da S.A. Central Elétrica Rio Claro – SACERC e associadas (Cia. Luz e Força de Mogi Mirim S.A., Cia. Melhoramentos de Mogi Guaçu S.A. e Companhia Luz e Força de Jacutinga S.A.) e a BELSA assume o controle acionário da Companhia Luz e Força de Tatuí e da Companhia Luz e Força do Tietê S.A.
    A CHERP conclui a UHE Euclides da Cunha.
    Início das obras da Usina Hidrelétrica Ilha Solteira, Rio Paraná, atual município de Ilha Solteira (SP), pela CELUSA.
  • 1966 – A CHERP dá início às obras da Usina Hidrelétrica Promissão, atual UHE Mário Lopes Leão, Rio Tietê, município de Promissão (SP).
    Inauguração da Usina Hidrelétrica Limoeiro, atual UHE Armando de Salles Oliveira, pela CHERP.
    5 de dezembro – Criação das Centrais Elétricas de São Paulo S.A. (CESP), com a fusão de cinco companhias estaduais (Usinas Elétricas do Paranapanema – USELPA; Companhia Hidroelétrica do Rio Pardo – CHERP; Centrais Elétricas de Urubupungá S.A. – CELUSA; Companhia Melhoramentos de Paraibuna – COMEPA e Bandeirante de Eletricidade S.A. – BELSA) e de seis empresas formalmente privadas, mas já controladas pelas estaduais. São elas: S.A. Central Elétrica Rio Claro – SACERC e suas associadas Empresa Luz e Força de Mogi Mirim S.A., Companhia Luz e Força de Jacutinga S.A. e Empresa Melhoramentos de Mogi Guaçu S.A., todas controladas pela CHERP, além da Empresa Luz e Força Elétrica de Tietê S.A. e da Companhia Luz e Força de Tatuí, ambas controladas pela BELSA.
  • 1969 – Inauguração da Usina Hidrelétrica Bariri, no Rio Tietê, município de Bariri (SP).
    Inauguração da Usina Hidrelétrica Ibitinga, no Rio Tietê, município de Ibitinga (SP).
    Inauguração da Usina Hidrelétrica Jupiá, no Rio Paraná, município de Castilho (SP).
  • 1970 – Inauguração da Usina Hidrelétrica Chavantes, no Rio Paranapanema, em Chavantes (SP).
  • 1971 – Início das obras da Usina Hidrelétrica Capivara, no Rio Paranapanema, em Taciba (SP).
  • 1972 – Inauguração da Usina Hidrelétrica Jaguari, no Rio Jaguari, município de Jacareí (SP)
  • 1973 – Início da operação da eclusa de Barra Bonita.
    Início das obras da UHE Água Vermelha (Senador José Ermírio de Moraes), no Rio Grande, Noroeste do Estado de São Paulo.
  • 1974 – Instalação da última máquina da Hidrelétrica Jupiá, no Rio Paraná. Em 16 de janeiro é inaugurada a UHE Ilha Solteira, a maior do País.
  • 1975 – A CESP adquire o controle acionário da Companhia Paulista de Força e Luz – CPFL.
  • 1977 – Inauguração da UHE Mário Lopes Leão (Promissão), no Rio Tietê.
    27 de outubro – A empresa Centrais Elétricas de São Paulo S.A. – CESP passa a denominar-se Companhia Energética de São Paulo – CESP, assinalando suas atividades no campo das energias alternativas.
  • 1978 – Inauguração da UHE Capivara, hoje Usina Hidrelétrica Escola de Engenharia Mackenzie, no Rio Paranapanema.
    Inauguração da Usina Hidrelétrica Paraibuna.
  • 1978-1979 – A CESP restaura a Usina de Corumbataí.
  • 1979 – Início das obras da UHE Nova Avanhandava, no Rio Tietê, município de Buritama (SP).
    Inauguração da UHE Água Vermelha.
  • 1980 – Início das obras da UHE Taquaruçu, no Rio Paranapanema.
    Início das obras da UHE Rosana, no Rio Paranapanema.
    Início das obras da UHE Eng. Sérgio Motta (Porto Primavera), no Rio Paraná.
    Início das obras civis da UHE Três Irmãos, Rio Tietê.
    Início da escavação do Canal Pereira Barreto.
  • 1981 – Inauguração da então Hidrovia do Álcool, de Barra Bonita até Ibitinga (SP).
  • 1982 – Tombamento da Usina do Corumbataí pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo – Condephaat.
  • 1983 – Inauguração da UHE Nova Avanhandava, no Rio Tietê, município de Buritama (SP).
  • 1986 – Entrada em operação das eclusas de Ibitinga e Promissão.
  • 1989 – A Hidrovia Tietê-Paraná passa a denominar-se oficialmente Hidrovia Engenheiro Catullo Branco.
  • 1992 – Iniciadas as obras das Usinas Canoas I e Canoas II.
  • 1993 – Entra em operação a UHE Três Irmãos.
  • 1994 – Inauguração da UHE Escola Politécnica da USP (Taquaruçu).
    Inaugurada a UHE Rosana, no Baixo Paranapanema.
  • 1996 – A CESP formaliza consórcio com iniciativa privada (Companhia Brasileira de Alumínio – CBA) para a conclusão das usinas hidrelétricas Canoas I e II, no Médio Paranapanema (atualmente pertencentes à Duke Energy International, Geração Paranapanema.                                                                                                                                                              
 A CESP em Chavantes:

A Usina de Chavantes começou a ser construída em 1959, e a operação para fornecimento de energia foi iniciada apenas em 1970. Ela foi a terceira usina a ser construída no rio Paranapanema.
Chavantes é capaz de gerar 414 MW de energia, suficientes para fornecer eletricidade a mais de 1 milhão de habitantes.
Para você ter uma ideia, o tamanho do reservatório de Chavantes é de 400 km2, o equivalente a 37 mil campos de futebol, e que possibilita o armazenamento de 9,4 bilhões de metros cúbicos de água. Enquanto a usina esteve sob concessão da CESP, também abrigava uma vila técnica, e servia de moradia para vários funcionários. Hoje, nas antigas casas, funcionam os escritórios da Duke Energy, Geração Paranapanema, no interior de São Paulo.
Além do tamanho, Chavantes impressiona por sua beleza, e também pela sua importância histórica: durante a Revolução de 32, muitos voluntários lutaram em um front instalado na cidade. Os soldados, então, procuravam abrigo às margens do rio Paranapanema, onde fizeram uma inscrição em uma pedra, que se tornou um dos símbolos da revolução.

Foto do acervo de José Carlos Donato

Foto do acervo de José Carlos Donato


                                     Acervo pessoal de Aniz Alberto de Abreu.


Acervo pessoal de Aniz Alberto de Abreu. 

 Acervo pessoal de Aniz Alberto de Abreu.

Acervo pessoal de Aniz Alberto de Abreu.

Acervo pessoal de Aniz Alberto de Abreu.


Acervo pessoal de Aniz A Abreu.


Acervo pessoal de José Carlos Alves de Souza.

O Grêmio:
São muitas as lembranças do Grêmio da Cesp. Festas, bailes, churrascadas, comemorações. Localizado num local arborizado, era um prédio bonito e muito bem cuidado, com salão de festas, campo de futebol, sauna, piscina.
Muito espaço para caminhar após um churrasco, ou sentar para conversar com amigos.


Cópia cedida pelo Roque.  Grêmio da CESP



Acervo de Olimpio Theodoro

Acervo de Olimpio Theodoro


As imagens a seguir são do acervo particular
de Nancy Faria.

 Entrada da CESP
1998

Escritório Central
1996
1997





1995



1995

1995

 Curso de Treinamento
1998

 Nancy, Ana

 Palestra no Grêmio
1989

 Comemoração de Natal. Nancy, Dirce, Paulo
1989

 Nancy

 Nancy, Carlos, Claudio
1998

 Barraca da Festa de Natal. Nancy
1996
Restaurante 1987


 Restaurante 1987

1998

Festa de Confraternização 1998
 Nancy, Natal, Claudio

Festa de Confraternização 1998 
Nancy, Natal, Claudio

Aposentadoria do engenheiro Beto.
Beto, Nancy, Val e Claudio.
julho de 1998

Confraternização. Carlos, Lilia, Renato
1987
A Usina

Maravilhosa foto. Palestra da CESP no Centro Cultural.
Anselminho, Bebeto, Nancy, Sr. Elias e dona Maria, Vera Bagnatori

Foto do acervo de Priscila Silva.
Aniz, Figueiredo, David, Caetano, Aroldo, Lisboa. 

A CESP nos Esportes

Uma contribuição do engenheiro Sergio Milani Simioli


































A Vila da CESP

Uma contribuição do engenheiro Sergio Milani Simioli
 Modelo de casa da Vila da Cesp


 Ao fundo, incêndio na mata do morro, na margem do Rio Paranapanema 
do lado do Paraná,  causado por queimadas. Foi necessário acionar o
 Corpo de Bombeiros de Ourinhos  e o nosso pessoal de segurança,
 "presenciamos um verdadeiro espetáculo pirotécnico", 
disse Sergio Simioli.


Integração
entre o pessoal da Cesp e os chavantenses.







Sergio e Célia.



As Fotos são uma contribuição de
Carlos Lopes Filho

 1 e 2 fotos Usina Chavantes - Lago - Barragem -
 Vertedouro - Subestação e as Maquinas Geradoras.
(ano 1988)

Usina Chavantes - Vista das maquinas Geradoras.
(ano 1988)

 Usina Chavantes - Vista Aerea do Lago de Chavantes. (ano 1988)
 Usina Chavantes - Vertedouro aberto - (ano 1988)

 Usina Chavantes - Vista Aerea do Lago de Chavantes. (ano 1988)

Vertedouro aberto - Fabio Massoni e Carlos Lopes Filho 
(ano 1975)

Acervo de Aniz A. Abreu
 
 David G. da Silva, Rubens Marques, Aniz A. Abreu
Haroldo de Melo, Antonio Figueiredo
Greve! 1987.


Acervo de Sergio Milani Simioli

 Acervo de Sergio Milani Simioli

Acervo de Sergio Milani Simioli

As meninas do Volei

em construção.


11 comentários:

Jaqueline Gimenez disse...

Nossa, a Cesp!!! Nos ofereceu tantas coisas boas....por muito tempo! Deu saudade!

Lilia disse...

Jaqueline, vou postar vídeos da Cesp. aguarde. abraços

Rosemeire disse...

Nossa D. Lilia muito bom tá dando muita saudades do gremio....e nessa lista dos pioneiros de chavantes meu pai tbm tá sendo homenagiado....Parabéns lindo trabalho...

Lilia disse...

uma saudades boa não é Rosemeire? obrigada pelo incentivo.

nancy faria disse...

oi lilia, nossa que benção e que iniciativa maravilhosa esta de criar um blog com a historia da cesp que foi a nossa vida e alias o que somos hoje. vivemos nesta empresa por tanto tempo, tantas historias a contar. vou procurar mais fotos e vou escanea-las e ai te aviso para vce me enviar um endereço de email para eu te enviar. um abração e mais uma vez parabens pela iniciativa. Voce como sempre é uma pessoa iluminada, faz bem tudo o que se propõe. abraços nancy faria

Lilia disse...

Querida Nancy. Olhando as sua fotos, estava pensando exatamente o que vc escreveu. Uma vida ali dentro. Um lugar lindo que vcs tiveram o privilégio de conhecer tão bem. Obrigada pelas fotos e espero receber mais de outros amigos. Gostaria de contar histórias vividas ali dentro. Chego lá. Meu carinho por vc. bjo

Vivi Balieiro disse...

Quantas saudades... Aos finais de semana lá estavamos eu, meus irmãos e amigos...
Me emocionei muito e principalmente quando vi a foto do meu tio Oswaldo (Vardo).

Lilia disse...

São ótimas lembranças, Viviane. Emocionam mesmo. Diz em qual foto está o seu tio que eu marco. bjo

Luis Antonio disse...

Lindas fotos na palestra da Cesp, do lado do Anselminho, nao e o Jose Calil, e sm o Carlos Alberto(Bebeto Mansur), esta maravilhoso o teu blog,parabens.

Lilia disse...

Oi Luiz Antonio, obrigada pela observação. Já corrigi. abraço

Lilia disse...

Comentário de Gilberto Adão
Amei as fotos. Apesar de não ser da gerencia Xavantes muitos conhecidos estão nelas. Entrei na CESP em 1988 na gerencia do TIETE na usina Bariri em 1998 formamos novo centro regional de operação em função da cisão da CESP. Parabéns. Como faço para entrar em contato?